Mudanças do workspace: foco em eficiência e flexibilidade.

Todas as Publicações

A edição de setembro de 2018 da revista The Leader, da CoreNet Global,  trouxe uma matéria muito interessante sobre as mudanças e as tendências do workspace. Na John Richard, acompanhamos essas transformações há duas décadas e percebemos um aquecimento do assunto nos últimos anos. Antes de compartilhar mais sobre minha análise do tema, gostaria de dividir com você, leitor, a tradução livre da matéria, que foi publicada originalmente em inglês.

Mudança efetiva: por que estamos tão focados na mudança do ambiente de trabalho? por Julie Whelan.

Como os residentes corporativos estão resolvendo o futuro? Com agilidade. Executivos imobiliários em resposta à Americas Occupier Survey 2018 pretendem continuar ágeis em equilíbrio com os requisitos atuais para ambientes de trabalho altamente eficientes, adaptáveis e com design centrado na experiência para rapidamente adaptar-se às necessidades futuras. Os resultados da pesquisa deste ano destacam as estratégias que os executivos estão executando para o local de trabalho, força de trabalho e equipes de CRE (Corporate Real Estate) do futuro.

Está aqui – a quarta revolução industrial – na qual a poderosa conexão entre pessoas e tecnologias emergentes irá transformar todos os aspectos da nossa vida. Essa revolução vai ter um impacto em indústrias de formas que não podemos antecipar. De desenvolvedores de aplicativos a motoristas do Uber, já existem profissões sobre as quais não sabíamos nada há 10 nos afetando. E essa transformação não mostra sinais de desaceleração.

O Fórum Econômico Mundial afirma que 65% das crianças entrando na escola primária terão trabalhos que não existem hoje. Com base em uma previsão da consultoria de gestão Innosight, qualquer empresa no índice S&P 500 hoje tem a 50/50 chance de ainda continuar lá em 10 anos. A mudança deve ser adotada e ações determinadas devem ser tomadas para permanecer relevante neste ambiente. A disrupção é real.

Diante desse cenário de mudanças, cabe aos profissionais do setor imobiliário pensar sobre o efeito corrente abaixo em sua classe. Isso inclui profissionais do mercado imobiliário corporativo encarregados de criar impacto através do espaço do escritório. Historicamente, “trabalho” era uma atividade que acontecia entre 9h e 17h, horas que incorporavam a bifurcação do trabalho versus diversão. Como resultado, o escritório era definido como espaço para trabalho, local para acessar pessoas e funcionários de tecnologia precisam realizar suas tarefas. O prédio em si simbolizava a organização, a hierarquia de poder era indicada pelo bairro no qual o prédio estava, o andar do departamento e, finalmente, onde no andar a pessoa era designada. O símbolo do poder frequentemente se correlacionava com o orgulho e a certeza que os funcionários tinham em sua empresa e proporcionava um palco que exigia que as pessoas fossem vistas a fim de serem reconhecidas por seu impacto.

Hoje, o trabalho é amplamente aceito como uma ação que se faz independente do lugar e do tempo. A discussão de como trabalhamos é mais importante do que onde trabalhamos. Dispositivos móveis, armazenamento na nuvem e ferramentas virtuais de interação e colaboração liberaram os colaboradores do escritório, como resultado, onde o trabalho acontece está se tornando mais transitório.

A tecnologia quebrou as barreiras do 9h às 17h e os colaboradores veem o mundo como o ambiente de trabalho. Com a possibilidade de trabalho em qualquer lugar e a qualquer tempo, trabalhadores estão duramente tentando encontrar equilíbrio entre vida pessoal e trabalho. As empresas estão reconhecendo o desafio, respondendo com políticas e serviços que proporcionam a sensação de integração entre trabalho e vida, apoiando comunidades e facilidades de vida. Candidatos estão escolhendo posições de trabalho com base em cultura, comunidade e propósito acima de legado. A próxima era influenciará ainda mais essa transformação de “como trabalhamos”.

Embora, “como trabalhamos” esteja mudando, para muitos de nós “onde trabalhamos” ainda está esperando por um gostinho desta mudança transformacional. Enquanto os colaboradores se envolvem com o trabalho de diversas formas, eles requerem um ambiente envolvente e que os suportem. Enquanto ferramentas e tecnologias nos permitem ser mais descentralizados, o ambiente está nos juntando. Quando adequadamente entregue, o ambiente de trabalho pode fazer o escritório ser uma parte integral ou opcional do sucesso dos colaboradores. Mesmo com um ambiente de trabalho utópico, o escritório provavelmente nunca mais será o único lugar que os funcionários precisam frequentar para alcançar o sucesso. Executivos imobiliários estão aumentando o foco nisso e, por sua vez, no que isso significa para a estratégia. Embora a eficiência continue a ser primordial, o foco é ampliado para alcançar ambientes de trabalho de alta performance, que ofereçam suporte ao engajamento dos funcionários, sendo um recurso ágil para as organizações que eles atendem.

Nós estamos ocupados mudando.

A mudança de cenário dos escritórios não é um fenômeno novo, mas os motores de mudança assumiram um novo ritmo. Desde a crise financeira global nos EUA, a relação entre espaço e novos empregos é ligeiramente inferior a 115 pés quadrados (+ou- 10 m²) e o pico de conclusão da construção dos EUA está bem abaixo das altas históricas. Estes fatos suportam a história de que a eficiência dos ambientes de trabalho vem sendo o catalisador de mudança deste ciclo.

Alguns ocupantes estão agora se aproximando dos limites do que sentem ser confortável e produtivo em seu espaço alugado e voltando-se para estratégias de trabalho mais holísticas. Eficiência ainda é uma discussão importante, mas algumas empresas líderes estão indo além das tradicionais métricas de eficiência (RSF/SF – Rentable Square Feet) e buscando capitalizar em ineficiências causadas por pouco uso ou falta de engajamento no ambiente de trabalho. Ao mesmo tempo, eles estão empenhados em criar estratégias imobiliárias flexíveis, que possam monitorar e adaptar-se às necessidades dos negócios ao invés de prever e planejar negócios. As estratégias resultantes estão permitindo que proprietários e locatários testem novas ideias que estão conduzindo as tendências de ambientes ágeis e a experiência dos colaboradores. A CBRE está aconselhando clientes com foco no papel ágil que as estratégias imobiliárias podem desempenhar em oferecer vantagens competitivas para as empresas de hoje e do futuro.

Considerações iniciais para ocupantes.
  • Comprometer-se com os requisitos de longo prazo que você sabe que são razoavelmente certos e explorar soluções flexíveis de espaço para o resto.
  • Focar em densidade e mobilidade no ambiente de trabalho ao invés das métricas tradicionais de metros por posição.
  • Desenhar um ambiente de trabalho baseado em funcionalidade para o presente e adaptabilidade para o futuro.
  • Investir recursos em comodidades tecnológicas, serviços e programas focados nos colaboradores.
  • Escolher locadores comprometidos em melhorar a experiência global do edifício.

Ambos, locadores e locatários, também estão testando ambientes de trabalho com estratégias focadas em flexibilidade e experiências para resolver as mais avançadas necessidades do ambiente de trabalho atual. Um portfólio imobiliário corporativo deve ser tratado como uma coleção de necessidades individuais que exigem um conjunto de soluções para alcançar alto desempenho. Adequadamente mesclar modelos tradicionais e flexíveis de acordo com as necessidades presentes e futuras do negócio ajudará os ocupantes a alcançar um espaço de trabalho ágil.

Tendências.

Reinvenção dos padrões do ambiente de trabalho.

  • Vários residentes estão se movendo em direção ao design baseado em atividades. Essa estratégia permite os usuários movem-se livremente na variedade de ambientes individuais e colaborativos conforme precisem durante o dia, aumentando produtividade e interações serendipitosas.
  • Assentos não atribuídos também são uma tendência, pois proporcionam à organização ganhos de eficiência e reduzem as pressões das tarefas de gerenciamento de espaço.
  • A combinação dos dois, quando suportados por tecnologia avançada, cria um ambiente de trabalho verdadeiramente eficiente, eficaz e ágil, no qual os ocupantes estão se apoiando à medida que reinventam os padrões de estratégia do local de trabalho.

46% dos ocupantes antecipam a migração para um local de trabalho baseado em atividades com curadoria para a eficácia dos colaboradores e flexibilidade futura do design. Fonte: CBRE 2018 Americas Occupier Survey.

Testando o panorama de soluções flexíveis de escritório.
  • A estrutura para tomar decisões de locação de espaços já se concentrou em custo, localização e amenidades. Embora estes fatores permaneçam primários, a flexibilidade é um componente igualmente importante do processo de tomada de decisão hoje em dia.
  • Em vários mercados, soluções flexíveis de escritório compõem uma pequena porcentagem da ocupação total, mas estão crescendo rapidamente. Esses espaços devem provar ser economicamente inteligentes e não prejudiciais à produtividade dos funcionários para alcançar o sucesso.
  • As impressões duradouras que esses espaços fazem em seus usuários desempenharão um papel na criação da aderência necessária para transformar essa estratégia em uma solução de longo prazo.

85% dos residentes antecipam usar uma estratégia de espaço flexível nos próximos 3 anos (versus 65% que usam alguma atualmente).  Fonte: CBRE 2018 Americas Occupier Survey.

Em diversos momentos da matéria, fica claro que o ambiente de trabalho atual e futuro demandam estratégias que integrem foco em performance e adequação às mudanças constantes. Logo, frente às novas dinâmicas das empresas e o ritmo acelerado das transformações, flexibilizar o escritório é uma necessidade crescente e que veio para ficar. Se para diversas organizações é impensável um escritório rígido nos dias de hoje, o que dizer sobre o futuro? Cada vez mais, as empresas assimilam que uma estrutura que acompanhe os movimentos do negócio e do mercado é condição básica para manter-se relevante e continuamente em evolução.

Em meio a tudo isso, o aluguel de móveis desponta como uma solução eficiente, ágil e plenamente alinhada às tendências e mudanças do ambiente de trabalho. Afinal, relembrando o texto acima “flexibilidade é um componente igualmente importante do processo de tomada de decisão hoje em dia”.

____________________________________________________________________________________________

Gostaria de saber mais sobre como flexibilizar seu ambiente de trabalho? Conheça a solução de aluguel de móveis da John Richard para escritórios e fique à vontade para entrar em contato e/ou solicitar um orçamento.  

Last modified: 19 de dezembro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × cinco =