Os principais insights da 7ª edição da Expo Facility Management

Todas as Publicações

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Sem Avaliações)
Loading...

A 7ª edição da Expo Facility Management, que aconteceu em São Paulo nos dias 9 e 10 de maio de 2018, proporcionou alguns insights sobre as tendências e novidades na gestão de facilities.

No espaço de convivência da Expo, foi montado um workplace e área para palestras, uma iniciativa da John Richard Aluguel de Móveis e Facilities Services Cursos e Consultoria para levar ao público participante comodidade e ampliação dos conhecimentos sobre as novidades do mercado.

Alinhado ao tema geral do evento que foi “Transformação através da tecnologia, inovação e criatividade”, o espaço trouxe diversos profissionais que falaram sobre seus trabalhos e conceitos importantes, principalmente o que está acontecendo hoje e impacta diretamente a gestão de toda a estrutura de facilities, nos seus mais variados ramos.

Os principais insights levantados nos debates, atividades e apresentações feitas no workplace, foram:

  • Mudanças de comportamento;
  • Mudanças no ambiente de trabalho;
  • Novos métodos de trabalho;
  • Economia de recursos.
Mudanças de comportamento

É unanimidade que o comportamento das pessoas está mudando, principalmente com relação ao trabalho e aos bens materiais.

E isso não é fruto de uma nova geração, mas sim porque todos estão se adaptando às mudanças, seja em menor ou maior grau.

Alessandro NG, da empresa Service Design Sprints, relatou questões interessantes sobre como o comportamento das pessoas está mudando e vivemos momentos disruptivos na sociedade:

  • A posse de bens materiais está mudando para acesso;
  • Transação está mudando para relacionamento;
  • Lógica dominante de produto está mudando para lógica dominante de serviço.

Isso significa que é necessário pensar melhor sobre a jornada de uso das coisas, por isso a locação tem ganhado cada vez mais força.

Se as pessoas querem o acesso e não a posse, a locação tem sido a alternativa mais viável para inúmeras situações, por isso o sucesso de empresas como Uber, Airbnb, espaços de coworking e outras de compartilhamento.

Isso não é diferente para a área interna das empresas, que tem vivenciado mudanças, principalmente com relação as suas estruturas de facilities. Para proporcionar uma excelente experiência aos colaboradores, parceiros e clientes em seu ambiente de trabalho, o acesso a bens e serviços tem sido mais importante do que a posse.

Essa visão é a mesma de John Paz, fundador da John Richard, que citou no evento que vê as empresas produzindo cada vez mais, mas com menos ativos.

A terceirização e o aluguel facilitam para que as empresas tenham um maior foco em suas atividades essenciais, o que se traduz em melhor produtividade e resultados.

Mudanças no ambiente de trabalho

Outra questão relevante é sobre o ambiente de trabalho em si, em suas questões de dinâmica e estrutura.

A demanda por formas mais flexíveis e colaborativas de trabalho exigem da área de facilities uma maior preocupação quanto à estrutura para que essa dinâmica funcione. Ricardo Cripaldi, presidente do GRUPAS, grupo informal de profissionais de facilities, tem acompanhado essa demanda na prática. Segundo ele, o interesse por coworkings e escritórios diferenciados tem crescido muito por parte dos profissionais da área.

Segundo Murilo Toporcov, da Informov, existe uma maior exigência do mercado para criar espaços “fora da caixa”, ambientes colaborativos e flexíveis, que possam crescer ou diminuir com facilidade, acompanhando a situação da empresa. O objetivo com a criação de ambientes de trabalho desse tipo é estimular o compartilhamento entre os profissionais da empresa, além de proporcionar um local agradável para melhor harmonia entre vida pessoal e profissional.

Para completar, John citou no evento que o mobiliário das empresas também segue tendências de moda, há mudanças nas preferências de cores, tamanhos e formatos. Mas o que antes somente era trocado de 10 em 10 anos, atualmente é possível ser substituído com maior periodicidade, acompanhando a tendência para criar ambientes verdadeiramente modernos.

Novos métodos de trabalho

Já há algum tempo o home office ganhou espaço na dinâmica de trabalho de muitas empresas, mas algumas iniciativas não deram certo por não serem planejadas corretamente. No workplace foi comentada a importância do planejamento, tanto para permitir que os colaboradores trabalhem de casa, garantindo a estrutura completa e segura para o desenvolvimento das atividades, como para os dias de trabalho no escritório, espaço o qual ainda deve existir por muito tempo e deve manter sua estrutura em dia.

Sobre métodos de trabalho em si, o workshop de Design Thinking realizado pelo Alexandre e Fernando da Service Design Sprints, mostrou aos participantes como um processo estruturado, que fornece os estímulos certos, é capaz de impulsionar uma equipe para encontrar a inspiração necessária para criação de soluções criativas. O método de Design Thinking é utilizado mundialmente como uma forma de resolução de problemas e tem inúmeras aplicações para a rotina de facilities.

Patrícia Silva, coordenadora de facilities da Cacau Show, comentou “A liberdade traz a oportunidade de inovar”, para ilustrar como o comprometimento, com uma forma mais ativa de escutar, coletar informações e descobrir as melhores práticas garante resultados. Na empresa são adotadas medidas e fornecidos espaços de convívio e serviços, para que os colaboradores tenham mais equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

Economia de Recursos

Por fim, a economia de recursos foi uma das questões amplamente citadas nas conversas e palestras do espaço, mostrando a importância desse tema para gestão de facilities.

Ricardo, do GRUPAS, comentou que a eficiência energética tem sido uma grande preocupação dos participantes do grupo, a procura de fontes mais eficientes e baratas tem se expandido.

John Paz comentou que o custo é uma questão importante para o profissional de facilities, que cada vez mais está preocupado em fazer mais com menos.

Dessa forma, as empresas podem encontrar na área de facilites uma fonte de maior eficiência e produtividade para empresa, garantindo resultados melhores em suas atividades.

O workplace da 7ª edição da Expo Facility Management, feito pela John Richard e Facilities Services, teve uma programação interessante que atraiu o público presente na Expo para um momento de aprendizado e interação entre importantes players desse mercado e os profissionais da área de facilities.

 

Last modified: 31 de agosto de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =