Oficceless? Anywhere Office? O novo vocabulário do trabalho híbrido

Todas as Publicações

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (2 Avaliações, Média: 5,00 de 5)
Loading...

O mundo mudou, não há como negar. Um dos efeitos mais notáveis dessa mudança é a quantidade de termos novos que passaram a fazer parte do nosso cotidiano: desde o famoso home office, passando também por conceitos como officeless, anywhere office, trabalho híbrido, workcation, coworking, teletrabalho e, finalmente, alguns que merecem atenção para além do mundo do trabalho, como zoom fatigue e burnout.

Você já está fluente neste novo vocabulário do mundo corporativo? Para garantir, preparamos um glossário explicando os principais conceitos que estão – e vão continuar – fazendo parte das nossas vidas.

Trabalho remoto

O termo se refere a todo exercício de atividades profissionais a distância, ou seja, fora do escritório da empresa. A revolução do trabalho remoto começou durante a pandemia do novo coronavírus, mas promete se estender por muito mais tempo, uma vez que muitas empresas e trabalhadores passaram a enxergar novas oportunidades com a experiência.

Teletrabalho

É a forma como a legislação brasileira nomeia o trabalho remoto. O termo pode ser usado quando há relação formal de emprego, em que o colaborador exerce sua função, na maior parte do tempo, fora da empresa.

As leis trabalhistas brasileiras preveem essa relação de trabalho indicando determinadas leis e direitos, com destaque para diretrizes a respeito de ergonomia, saúde e segurança do colaborador.

E aqui vai uma dica: antes de inserir o teletrabalho na política de sua empresa, lembre-se de conferir todas as regras e garanta que seus colaboradores tenham acesso à mobília adequada para o trabalho, assegurando-se de que a empresa está cumprindo à risca todas as normas relacionadas à ergonomia.

Home office

É o termo mais popular desta lista e, geralmente, quando falamos em trabalho remoto estamos nos referindo ao home office. O termo refere-se ao modelo de trabalho onde o trabalhador exerce seu ofício dentro de casa.

Levar o escritório para casa tem suas vantagens e desvantagens. Se, por um lado, pode significar economia, menos horas no trânsito e até mais produtividade, por outro, pode levar o colaborador a misturar a vida pessoal com o trabalho, além de provocar efeitos indesejados como distrações e depressão, entre outros.

O crescimento do home office nos últimos anos fez com que muitas pessoas buscassem adequar melhor a residência ao ambiente de trabalho, e muitas empresas passaram a adotar a assinatura de móveis como um benefício para seus colaboradores.

Coworking

Os espaços de coworking são locais de trabalho compartilhados entre diferentes empresas ou trabalhadores autônomos. Cada um paga para usar o local por tempo determinado, podendo usufruir da internet e das instalações físicas, desde que siga as regras de boa convivência do estabelecimento.

Nessa retomada gradual do trabalho presencial em modelo híbrido, muitas empresas estão criando espaços de coworking descentralizados em zonas não centrais das grandes cidades. Assim, pequenos grupos de colaboradores podem trabalhar em ambiente corporativo, estimulando uma nova forma de colaboração entre os times.

Anywhere office

O termo inglês significa “escritório em qualquer lugar”. Esse é um conceito que expande o raio de ação do trabalhador remoto. No anywhere office, o colaborador pode atuar em sua residência, bem como em uma cafeteria, em um espaço de coworking, em um hotel ou qualquer outro lugar que ofereça conforto, segurança e acesso à internet. Para as empresas, a vantagem também está em romper as barreiras de contratação, tendo mais liberdade para contar com talentos de outras cidades, estados ou mesmo países.

Officeless

Em inglês, significa “sem escritório”. Esse termo é empregado para designar empresas que não contam ou não precisam de um espaço físico para o trabalho. Assim, a maior parte dos colaboradores dessas empresas trabalha remotamente.

Trabalho híbrido

É o termo do momento. Um modelo de trabalho praticado por empresas que mesclam o trabalho remoto com encontros presenciais nos espaços da empresa ao longo da semana. Portanto, conta com a comodidade do home office e, ao mesmo tempo, proporciona oportunidades de socialização e aprendizado nos encontros presenciais, fomentando uma cultura de flexibilidade fundamental para as empresas no atual momento.

O trabalho híbrido vem sendo apontado como tendência para o pós-pandemia. Com isso, muitas empresas estão passando por um momento de transição, redimensionando e equipando seus escritórios de acordo com as novas necessidades. Logo, cubículos e salas individuais deixam de existir e dão espaço para ambientes amplos com áreas para reuniões e até mesmo salas de descompressão.

Workcation

Esse termo junta as palavras “work” (trabalho), e “vacation” (férias). A lógica aqui é que o colaborador em trabalho remoto tem a possibilidade de viajar para destinos turísticos ao mesmo tempo em que trabalha, podendo exercer seu ofício enquanto desfruta da vista de uma paisagem paradisíaca em sua janela.

As empresas de turismo observam com entusiasmo a nova tendência ao passo em que muitas pessoas enxergam a possibilidade como uma forma de fazer com que a rotina de trabalho seja menos estressante e, em muitos casos, mais produtiva.

Zoom fatigue

A fadiga do Zoom surgiu com a expansão do home office e o excesso de reuniões por chamadas de vídeo. É um fenômeno que, de acordo com pesquisa realizada pela Universidade de Stanford e publicada pela National Geographic, já atingiu metade do contingente em trabalho remoto, especialmente as mulheres.

Com sintomas como dores de cabeça, enxaquecas, irritação e dor nos olhos, visão turva e dupla, lacrimejamento e piscar excessivo dos olhos, esse tipo de cansaço mental pode ser amenizado desligando a câmera em algumas reuniões durante o dia.

Burnout

Por fim, há a temida síndrome de burnout, também conhecida como “síndrome do esgotamento profissional”. Um distúrbio psíquico, geralmente relacionado ao excesso de estresse no trabalho.

Esse termo tem se popularizado junto com o crescimento do diagnóstico em pessoas que exercem trabalhos remotos, associando o home office às dificuldades como sobrecarga de trabalho, falta de separação entre questões profissionais e problemas familiares, e também à falta de ergonomia no home office.

 

A maior tendência é ser flexível

A popularização de todos esses termos mostra o quanto vivemos em um momento de transição. Além disso, é certo que a revolução do trabalho remoto ainda não mostrou todas as suas facetas, e é provável que novos termos e conceitos continuem surgindo. Portanto, estar preparado para esse novo normal do mundo corporativo é ser flexível.

Há mais de 20 anos no mercado, a John Richard acompanha de perto essas mudanças e oferece soluções para que as empresas se preparem para qualquer adaptação que queiram implementar na organização dos espaços de trabalho. Seja nas transformações dos escritórios das empresas, na montagem de postos de trabalho ou na adequação de home offices.

Clique aqui e saiba mais sobre os nossos serviços.

Last modified: 14 de junho de 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *