Os três maiores desafios das empresas no trabalho híbrido

Todas as Publicações

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (2 Avaliações, Média: 5,00 de 5)
Loading...

2021 caminha para sua reta final e o cenário futuro se projeta com novas possibilidades de organização dos modelos de trabalho das empresas. O avanço da vacinação, embora ainda insuficiente para determinar o fim da pandemia, já sinaliza uma nova dinâmica, com a diminuição das restrições no comércio e em serviços.

Nesse contexto, muitas empresas já vêm desenhando um planejamento para retomar – mesmo que parcialmente – as atividades presenciais: segundo estudo realizado pela consultoria KPMG no primeiro semestre, 66% das empresas estavam interessadas em voltar aos escritórios ainda em 2021; os 34% restantes em 2022.

Sem dúvidas, o trabalho remoto deixou de ser apenas uma tendência e passou a estar incorporado à realidade de muitas companhias. Afinal, não há dúvidas sobre as vantagens desse modelo, que passou inclusive a ser oferecido como benefício por muitos empregadores (falamos mais sobre isso neste artigo). Em contrapartida, muitos funcionários sentem a necessidade de retornar ao ambiente corporativo, seja pela estrutura inadequada em casa, a falta de contato com colegas, o desequilíbrio entre vida pessoal e profissional ou até mesmo a queda na produtividade.

Com isso, surgem novas dúvidas e desafios: como encontrar o equilíbrio perfeito entre trabalho presencial e remoto? Como garantir a saúde mental e física dos colaboradores – seja no escritório ou no home office? E no retorno ao presencial, como transformar o escritório para atender às novas demandas, tanto sanitárias quanto em relação à produtividade dos times? Uma série de desafios se apresentam, mas que, com um olhar atento, podem tornar-se oportunidades para modernizar o espaço de trabalho e – por que não – quebrar alguns paradigmas também em relação ao home office.

Todo mundo na mesma página

Para muitas empresas, a dúvida entre home office ou trabalho presencial já é uma questão superada. Boa parte delas vêm optando, cada vez mais, por unir o melhor desses dois mundos no modelo de trabalho híbrido. Assim, os times podem se distribuir, tanto remotamente quanto no escritório, como e quando for conveniente. Para saber mais sobre o modelo híbrido, leia este artigo em nosso blog.

Assim, um dos maiores desafios das empresas tem sido oferecer as condições ideais para garantir a segurança, a qualidade de vida e a produtividade dos times não importa se em casa ou no escritório. Mas não só: comunicar essas iniciativas de forma clara também é fundamental. Saber que a empresa pensou em uma nova estrutura do espaço físico que estimule a integração dos times, num ambiente colaborativo, inclusivo, seguro e com os móveis adequados para a nova dinâmica tornou-se um fator não só de retenção de talentos, mas também de atração.

Ergonomia 360°

Outro ponto de atenção que deve ser listado aqui é a padronização das condições ideais, para quem está na empresa e para quem está em casa. Ou seja, a estação de trabalho precisa ter equipamentos e móveis ergonômicos para não gerar problemas de saúde ao longo do tempo. Isso impacta não apenas a saúde física, mas também o bem-estar e a saúde mental dos colaboradores que atuam remotamente.

Quando a pandemia chegou, em 2020, a urgência em remanejar as pessoas, equipamentos e adaptar nossas casas quase como extensões do escritório foi, para muitas empresas, na base do improviso. E mesmo mais de ano e meio depois, muitos ainda têm apenas o essencial ou móveis inadequados para uma jornada intensa de tantas horas de trabalho. Qualidade de vida é muito mais do que mesas e cadeiras ergonômicas – acessórios também podem ser grandes aliados para evitar lesões graves por má postura ou mesmo problemas ortopédicos como tendinite e bursite.

A padronização dos móveis e a propagação de boas práticas que asseguram esses cuidados à equipe é uma das prioridades dos profissionais de Recursos Humanos das empresas. Nossa solução Work.In pode ser uma grande aliada nesta tarefa: temos uma linha exclusiva de acessórios para home office que podem ser oferecidos como um benefício (sim, como o vale-refeição!), e todos os itens são adequados às orientações do Ministério Público e do Trabalho. E o melhor: a entrega e a montagem dos itens alugados na casa de cada colaborador é feita pela nossa equipe.

Qual é o papel do novo escritório?

Com a equipe trabalhando no escritório menos dias por semana, as empresas devem reconsiderar como organizam seus espaços físicos. Isso passa pela distribuição das estações de trabalho – considerando a produtividade coletiva e individual e, inclusive, as demandas de prevenção à covid-19 – e a criação de um ambiente que proporcione a troca e a integração entre os colegas.

No entanto, reconfigurar os espaços do escritório exige um planejamento cauteloso. As áreas devem ser bem aproveitadas e o mobiliário pensado para atender às novas necessidades. Nesse sentido, a compra de móveis pode não ser o ideal, uma vez que o investimento é alto e, com essas mudanças constantes, perde-se em flexibilidade. Sim, porque a flexibilidade engloba a rotatividade das equipes, e ter móveis encostados ou em falta não é um bom negócio. Além disso, a estrutura para as equipes remotas também deve ser incluída nesse redesenho.

E, mais uma vez, nós podemos ajudar: a assinatura de móveis para escritório é uma alternativa que, além de mais econômica, possibilita a readequação dos itens sempre que necessário. E nossos especialistas estão à disposição para construir junto com a sua empresa o melhor layout de acordo com as necessidades e a distribuição nos diferentes modelos de trabalho.

Entre em contato com nossa equipe, pelos canais tradicionais ou mesmo pelo WhatsApp, e entre para o mundo do mobiliário como serviço com a John Richard. Conte conosco!

Last modified: 5 de novembro de 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 5 =