Qual o peso do móvel no seu bolso e na sua vida?

Todas as Publicações

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Sem Avaliações)
Loading...

Ter um móvel próprio é a melhor opção para a sua necessidade? Considerando suas características de uso, a compra do mobiliário é a melhor escolha? Para responder estas perguntas é importante analisar o peso real do mobiliário para a gestão do seu escritório e/ou para momentos de mobilidade. Por isso, nos inspiramos na campanha do Uber ‘Qual o peso do seu carro?’ para convidá-lo(a) a colocar seu mobiliário na balança. Assim como no caso do automóvel, além do custo de aquisição, o móvel possui custos ocultos que impactam em seu peso final. Avaliar todos estes pontos é o caminho para uma tomada de decisão inteligente.

Um fator que deve sempre ser observado com atenção é a depreciação do móvel, pois além de reduz o valor do ativo, o desgaste gera demandas como manutenção, reparos e substituições. Nas empresas que optam pelo móvel próprio, a depreciação cria a necessidade de investimentos em Facilities e, a depender das decisões de cada gestor, também cria a necessidade de uma equipe dedicada ao manuseio e conserto dos móveis. Estes gastos precisam ser considerados no planejamento e contabilizados como despesas com mobiliário para que o peso real da posse de cadeiras, mesas e armários seja identificado.

O mesmo raciocínio é válido para o universo residencial. Especificamente nos momentos de mobilidade – transferências, expatriações e moradias temporárias -, há o impacto financeiro da mudança e da estrutura exigida para retirada dos itens e instalação no novo endereço. Os custos com desmontagem, embalagem, transporte e montagem precisam ser listados no peso dos móveis. No caso de mudanças internacionais, há também o peso do tempo de espera pela chegada do container.

Aliás, falando em tempo, existem custos mais delicados de serem interpretados de forma financeira, mas que podem pesar muito nos móveis para escritório e para residência. No office, o desgaste e o estresse de um móvel indisponível podem atrapalhar a rotina corporativa e comprometer produtividade. Na mobilidade residencial, a adaptação pode ser mais complicada sem uma estrutura de suporte e receptividade adequadas. É complexo transformar estas situações em valores a serem contabilizados no peso do móvel para o bolso, por isso, vale analisar peso em um sentido mais amplo.

Ainda sobre pesos que vão muito além do monetário, é importante analisar e procurar reduzir o impacto ambiental da gestão do mobiliário. Você pode saber mais a respeito no post que escrevemos sobre uso consciente. Outros pontos poderiam surgir em análises caso a caso sobre o peso do mobiliário, mas, no geral, os itens descritos aqui permitem uma visão global e eficiente. Se você ponderou e percebeu que o móvel próprio pesa muito no seu bolso e na sua vida, considere o aluguel. Da mesma forma que a campanha do Uber demonstrou que o carro sob demanda tem as diversas vantagens da mentalidade de uso, o móvel sob demanda é a solução ideal para ter a conveniência de um serviço completo e a flexibilidade de móveis adequados às necessidades de cada momento.

Last modified: 10 de setembro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 5 =