Sociedade 5.0 e Espaços de Trabalho, com Gil Giardelli

John?! Lives, Sem categoria

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Sem Avaliações)
Loading...

Será que a nossa sociedade, de fato, está colocando as pessoas como prioridade? Foi a pauta que o “E aí, John?!” desta quinta-feira, 17/09, levantou com Gil Giardelli, CEO da 5Era e professor de inovação. A “Sociedade 5.0 e os Espaços de Trabalho” trouxeram debates sobre educação, tecnologia e autonomia. Confira um resumo aqui.

Sociedade 5.0: o que é isso?

Em meados 2016, do outro lado do mundo, no Japão, houve o lançamento de um plano com  políticas de inovação para serem estimuladas até 2021 no país. Foi assim que o termo “Sociedade 5.0” se espalhou pelo mundo e no Brasil, cresce cada vez mais. “A sociedade 1.0 seria a da caça, a 2.0 a agrícola, 3.0 a industrial e a 4.0 a da informação”, explicou Gil, já colocando em destaque o grande pensamento da sociedade 5.0: conscientização. 

“O nosso dever é trazer essa sociedade como o fim do B2B, e o início do H2H, ou Human to Human, “H dos H”, um processo que foi criado a partir de uma das marcas mais famosas do mundo que queria mudar esse conceito da informação. Eles encomendaram um estudo e a partir dele, foi comprovado que as pessoas queriam seres humanos a frente de tudo isso”, relatou. 

Para Gil e todos aqueles que estudam o futuro, “a sociedade da informação já acabou, estamos vivendo a sociedade da conscientização”. “Hoje, se você sabe e não compartilha ou não ensina, você também não sabe! É a revolução das pessoas, uma ideia para trazer movimentos, como o Black Lives Matter, da comunidade negra, o Me Too, que luta pelo fim da desigualdade entre gêneros e outros”, disse. 

O mundo é movido por grandes ideias 

Os espaços de trabalho são movidos por líderes. Seja por meio de uma gestão horizontal, um trabalho mais flexível, não tem jeito, a sociedade 5.0 trabalha muito essa comunicação mais humana e a pessoa que encabeça isso, os líderes, é o grande maestro. “A liderança nas empresas sempre foi educada para ser eficiente nas finanças e na produtividade, mas hoje em dia, temos a eficiência da inovação, que só conseguem crescer a partir do debate de coisas que não concordamos e às vezes, até em embates que surgem grandes ideias”, comentou. 

Para o professor de inovação, o período que estamos vivendo trouxe o híbrido para sempre. “Ficar trabalhando cinco dias por semana, no mesmo horário, não vai mais fazer sentido. O mundo híbrido chegou para ficar, mas ele é importante alinhado com o físico. Terão dias que eu vou falar: quero ficar de manhã no parque e de noite, trabalho até um pouco mais tarde. Precisamos nos acostumar com esse equilíbrio. E a mudança do mindset, como a gestão horizontal, traz essa mudança de pensamento para que as pessoas sejam protagonista e tenham autonomia”, disse. 

Empresas e a adoção dos robôs  

Você já parou para pensar se um dia o robô der conta da sua casa, isso vai tornar você mais feliz? Vemos um avanço de figuras como essa cada vez mais presente no nosso dia a dia, como o atendimento ao cliente por meio de chat e com o auxílio de inteligência artificial. “Os trabalhos repetitivos vão ser substituído em breve por um robô. Na nossa casa, por exemplo, se você fazer uma faxina vai mexer com um lado do seu cérebro, mas caso tenha que fazer isso todos os dias, com certeza vai se tornar chato”, disse Gil. 

Porém, para tornar esse nicho cada vez melhor, o CEO da 5Era acredita que precisamos melhorar o nosso pilar: a educação. “Temos um descompasso do que estamos precisando e o que as pessoas estão estudando. De um lado, sobrando muitos empregos na área de Técnico de Informática. Do outro, muitas pessoas na fila de espera buscando uma aprovação para trabalhar em deliverys, muito pela necessidade”, comentou. 

“A nossa educação está mudando, mas até que ela realmente mude, de fato, temos que apoiar os professores que ensinam sobre matemática, português, esse profissional que era dono do conhecimento e agora, tem que ser o grande maestro, disposto para aprender junto com os alunos e compartilhar esse sentimento que não deve ser hierárquico. 

Assista o bate-papo na íntegra aqui

 

Last modified: 22 de setembro de 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − onze =